12 de abril de 2010

Percy Jackson e o Ladrão de Raios

Nada de varinhas, nada de feitiços e muito menos caldeirões com poções, nada disso. Que tal algo com espadas afiadíssimas, escudos de bronze, armaduras e deuses do Olimpo? Se quiser eu posso te contar umas coisinhas do novo filme do Chris Columbus, Percy Jackson e o Ladrão de Raios... pronto? Então vem cá...
O longa de 120 minutos é uma produção da 20th Century Fox baseado na série literária Percy Jackson e os Olimpianos, escrita pelo texano Rick Riordan. O primeiro livro da série, Percy Jackson e o Ladrão de Raios, chegou nas estantes das livrarias em 2005, mas mal pegou poeira e já ganhou o gosto de  alguns produtores, talvez porque a proposta do autor atrairia um público desesperado para as salas cinematográficas, contudo muitos fãs surtaram ao ver a obra retalhada pelo roterista e direção. O que já é de esperar, não é? Livros que se tornam filmes, muitas vezes perdem aquela magia ímpar do papel, perdem o encanto e a alma de quem sonhou com a história primeiro.
O enredo é dos mais atraentes, sabe! Percy Jackson (Logan Lerman) é um menino aparentemente comum de New York, disléxico e disperso, que de uma hora para outra começa a ver que os livros de história não estavam contando meias verdades sobre a Grécia Antiga, sim, haviam deuses de fato, como também haviam centauros, ninfas, sátiros e semi-deuses, e claro, ele, Percy era um deles, um semi-deus, o filho de Poseidon (Kevin McKidd). Como em toda boa história o heroi não está sozinho, e aqui vemos Percy ao lado do sátiro comédia Grover (Brandon Jackson) e a bela filha de Atena, Annabeth (Alexandra Daddario), que juntos tentam resolver a problemática da trama que envolve o roubo do raio-mestre de Zeus (Sean Bean). 
O telespectador pode esperar de tudo um pouco, um All Star alado, uma Medusa (Uma Thurman) tão fashion quanto Meryl Streep em "O Diabo Veste Prada" (2006), uma sequência embalada pelo ritmo contagiante de Lady Gaga e se prestar bem atenção verá uma picape muito parecida com a que Bella Swan (Kristen Stewart) dirige pelas ruas molhadas de Forks em  "Crepúsculo" (2008). Ainda não tive a oportunidade ler o livro, mas lerei em breve, a história do Rick Riordan me fisgou, sabe, mas o roteiro de Craig Titley não me seduziu tanto, mas já tenho a minha opinião, Percy Jackson e o Ladrão de Raios deve ser muito melhor em papel! 
Faz assim, aperta o play aí!

Ficha técnica:
Título original: Percy Jackson & the Olympians: The Lighting Thief
.
Gênero: Aventura.
Duração: 120min.
Ano de lançamento: 2010.
Site oficial: http://www.percyjacksonfilme.com.br/
Distribuidora: 20th Century Fox.
Direção: Chris Columbus
Roteiro: Craig Titley
Produção: Chris Columbus, Michael Barnathan e Karen Rosenfelt
.
Música: Chistophe Beck.
Fotografia: Stephen Goldblatt
Edição: Peter Honess.
_______

 Charlie B.


3 Comentários:

Charlie B. disse...

Oi gente, minha primeira postagem aqui no "Aperta o play". Confesso que o texto eu já tinha publicado no meu blog, o Paranóico, mas nem foi tão lido, e eu queria partilhar as minhas ideias de cinema que lá publiquei, aqui! Abração a todos,

Charlie B.

Raquel Rodrigues disse...

Charlie, eu já havia lido o teu post lá no Paranóico ;)
E fostes tu quem me convenceu a assisti-lo, devido a grande variedade de eventos que ocorrem, mas eu não gostei muito não, sabe? A história prometia empolgar, porém não foi isso o que aconteceu. Eu só gostei mesmo, da parte do barqueiro e isso não é nem um pouquinho suficiente para dizer que o filme é bom.
Acho que é como tu dissestes: Percy Jackson e o Ladrão de Raios deve ser muito melhor em papel!
Beijocas

Charlie B. disse...

Pois é, me apeguei a pequenas coisas que o filme tem de bom, mas ao longo do texto vou dizendo que não é tanto, mas vale a pena apertar o play só pra depois você comprar o livro, né? Até gente,

Charlie B.

Postar um comentário

Mais Cinéfilos

Aperta o play aí! © 2008. Template by Dicas Blogger.

TOPO